Categorias
Filmes

Para Publicitário Ver | ESPM Fallon

“Assista ao filme criado pela Fallon para o Recriação 9.0, novo curso de criação publicitária, do Centro de Inovação e Criatividade, da ESPM. O filme mostra um criativo discutindo sobre uma idéia com ele mesmo, como se tivesse múltiplas personalidades. O diretor de arte, o redator e o web designer são o mesmo profissional. A campanha conta ainda com anúncios.”

Fonte: Clube de Criação

Quem tiver a oportunidade não perca este curso. Será ótimo, pois além de ser da ESPM, deve contar com a participação do publicitário e coordenador da MAS|ESPM Paulo André Bione, que tive o prazer de conhecer quando estive por lá participando do curso de férias.

Categorias
Opinião | Dicas

Redação publicitária: sedução pela palavra

Dica de livro
Título: Redação publicitária: sedução pela palavra
Ano de publicação: 2015 (Segunda edição)
Autor: Celso Figueiredo
Editora: Cengage Learning

Capa:

Descrição:

Redação publicitária: sedução pela palavra apresenta, de forma clara e objetiva, as estratégias de persuasão utilizadas pela publicidade. Desconstrói o anúncio examinando as características de cada um dos seus elementos e analisa todos os tipos de anúncio ao mesmo tempo em que correlaciona os aspectos da redação publicitária aplicada a cada uma das mídias. Propõe o uso de diferenciadas estratégias de mensagem para cada situação de comunicação, pois, como afirma o jornalista Matinas Suzuki Jr. ao prefaciar este livro: A comunicação moderna se tornou fragmentária e complexa. Não se pode mais pensar em publicidade apenas intuitiva, fruto da inspiração pura. É necessário conhecer os conceitos, as técnicas e o contexto que levam as palavras certas para a comunicação certa. Ao levar em consideração as estratégias de persuasão do texto publicitário, o autor utiliza-se também das cores e dos elementos visuais como recurso didático, despertando no leitor a consciência da importância de se fazer a leitura de campanhas/anúncios atendo-se não apenas ao texto, mas também à imagem.

Sobre o autor:

Celso Figueiredo Neto é formado pela ESPM, pós-graduado pela UC-Berkeley, mestre pelo Mackenzie e doutor em Comunicação e Semiótica pela PUC-SP. Atuou vários anos como redator publicitário e atualmente presta consultoria em comunicação. É professor pesquisador na Universidade Presbiteriana Mackenzie onde leciona criação e redação publicitária . Leciona Redação Publicitária na FAAP. Em nível de pós-graduação, é professor de Comunicação em Marketing no lato sensu do Mackenzie. É pesquisador em comunicação com diversos artigos publicados. É autor dos livros Redação Publicitária: Sedução pela Palavra e A Última Impressão é a que Fica e Turbine seu Negócio – Propaganda para a Pequena Empresa. Todos editados pela Cengage Learning.

Categorias
Opinião | Dicas Zeca Martins

PROPAGANDA É ISSO AÍ!, com Zeca Martins

Zeca Martins, que está sempre presente no blog, é redator publicitário graduado em Propaganda e Marketing pela ESPM e autor dos livros Propaganda isso aí, Deus é inocente e Redação publicitária: a prática na prática, adotados em faculdades de Comunicação Social de todo o Brasil.

Ele lançou recentemente um canal no YouTube para falar sobre comunicação e propaganda.

Separei dois vídeos para vocês:

Assista tudo o que já foi publicado e inscreva-se no canal do Zeca aqui.

Categorias
Opinião | Dicas

Dica de Livro | É o que parece

O livro É o que parece! reúne em suas 240 páginas, 41 autores e 65 casos narrados pelos mais consagrados profissionais do mercado publicitário, da promoção, da produção publicitária, de veículos de comunicação, jornalistas e advogados. As narrativas contam experiências vividas durante mais de cinco décadas, num dos períodos mais significativos da atividade publicitária no Brasil. Essa obra é de iniciativa do Clube dos 100 Amigos, que este ano comemora seu 20º aniversário. O Clube foi fundado por alguns profissionais, mas que com o tempo foi agregando novos, formando um grupo de amigos cuja finalidade é manter as raízes históricas do mercado da comunicação publicitária. Os encontros desses amigos são realizados periodicamente durante almoços festivos, onde temas atuais são discutidos sem pressa e livre de qualquer compromisso. Esse Clube, com o passar do tempo transformou-se num case de marketing, como se diz no meio publicitário porque cada vez mais agrega amigos e sempre revelando novas facetas do vasto mundo da comunicação. A origem do Clube é contada no livro por José Francisco Queiroz, com passagens por grandes agências como Norton, J.Walter Thompson e mais recentemente pela ESPM.

É o que Parece! é prefaciado por Roberto Duailibi, que faz um resgate histórico desse os anos de 1955 até os nossos dias, destacando o quanto a propaganda tem contribuído para a economia de livre iniciativa. Além disso, lembra também de como surgiram entidades de defesa do setor como a Abap (Associação Brasileira de Propaganda), Conar (Conselho Nacional de Autorregulamentação Publicitária, APP (Associação dos Profissionais da Propaganda), Grupo de Mídia, a criação da ESPM. Em certo trecho diz Duailibi em seu prefácio: “ Olho a lista dos membros do Clube dos 100 e vejo só amigos pessoais – e concluo que eles também são amigos entre sí”.

A Carta ao Leitor, assinada pelo editor e jornalista Antoninho Rossini apresenta a obra esclarecendo sobre a forma peculiar das narrativas visto que os autores são os seus próprios atores – os casos são contados na primeira pessoa. Vale ressaltar que apesar da descontração e irreverência, as revelações feitas são verdadeiras – daí o nome É o que parece!

Como demonstração de apreço pelo Clube dos 100 Amigos, o livro recebeu apoiadores como o Cenp (Conselho Executivo de Normas Padrão), APP, agência Lew´Lara/TBWA, Rede Globo, Grupo de Mídia e Editora Referência.

O livro poderá ser adquirido na sede da APP.
Rua Hungria, 664 11º andar
Tel (11) 3813.0188

Mais informações:
Gretha Patrícia – (11) 9 8175.2399

livro-e-o-que-parece

Categorias
Opinião | Dicas Zeca Martins

O que é sucesso profissional? | Zeca Martins

Japan Flag

O QUE É SUCESSO PROFISSIONAL?
UMA HISTORINHA DE PUBLICITÁRIO.

Em 1991, deixei meu cargo na área de comunicação da então Ford New Holland e fui trabalhar no mercado publicitário de Curitiba, onde morei por nove anos.
À época, a inflação era galopante, a economia não ia muito bem e todo mundo só falava em crise. Com exceção dos índices de inflação, era tudo igualzinho a hoje.
Empresários não investiam, anunciantes não anunciavam. E nós, publicitários, penávamos com a falta de verbas de propaganda. A lenga-lenga de sempre.
Bem, o jeito era prospectar e prospectar e prospectar clientes, mais clientes, mais clientes ainda!
Na Complan Propaganda, agência com que tinha uma associação informal, eu e meu diretor de arte, o Aramis (que, aliás, teve o mau gosto de morrer), criamos uma campanha para prospectar clientes baseada na ideia de que a crise estava mais na cabeça dos agentes econômicos do que na realidade dos fatos. Países haviam passado por situações incrivelmente piores e usaram suas dificuldades para se desenvolver, como Alemanha, Estados Unidos e Japão.
A campanha funcionou e conquistamos alguns clientes.
Contei toda essa história para falar sobre o que entendo por sucesso profissional.
Acontece que, recentemente, recebi e-mail de um leitor dos meus livros, que me perguntava se eu era realizado profissionalmente, se eu me considerava um sujeito de sucesso.
Eu disse que sim, mas que na minha carreira profissional só faltava ter um texto meu gravado pelo Ferreira Martins, o melhor locutor brasileiro desde sempre, em minha opinião.
Eis que, sabendo disso, meu filho Miguel me pergunta a mais óbvia das perguntas: “Você, ao menos, tentou pedir pra ele que gravasse um texto seu?”
Depois de alguns minutos fazendo “cara de tacho”, resolvi procurar o Ferreira Martins. É impressionante o poder do óbvio.
Mas qual texto eu pediria pra ele gravar? Foi fácil: um dos meus textos foi reproduzido pelo Roberto Menna Barreto, meu ídolo profissional, em seu livro O Copy Criativo. A imagem era uma brincadeira com a bandeira do Japão, onde o círculo vermelho central era substituído pela careta de um japonês sorrindo.
Em resumo, não apenas o Ferreira Martins aceitou gravar como, sobretudo, foi um perfeito cavalheiro. Gentilíssimo, ainda teve a elegância de o gravar em três intonações diferentes. Se quiser ouvir, clique aqui (https://goo.gl/1LMkvB) para baixar.
Pronto! Minha vida profissional estava, portanto, completa, e depois de mais de 35 anos no ramo.
Mas, voltando ao tema deste texto, o que é sucesso profissional, afinal de contas?
Em minha modesta opinião, sucesso não se mede pela conta bancária, pelo patrimônio pessoal ou por sua exibição pública. Sucesso é um sentimento interior, é olhar para seu passado e ver que tudo valeu a pena, com ou sem crise, com ou sem noticiário ou conjuntura contra ou favor da economia ou seja lá do que for.
Será que ganhei milhões de dólares, como procuram mostrar alguns publicitários por aí? De jeito nenhum! Ao contrário, preciso continuar trabalhando bastante para sobreviver.
Com ou sem fortunas no bolso, eu sou um cara de sucesso, apenas porque realizei coisas importantes que me propus a realizar.
Espero que você também venha a ser um cara de sucesso. E que seu sucesso seja muito, muito maior que o meu.

Locução de Ferreira Martins para o texto do Zeca Martins.
[audio:https://putasacada.com.br/wp-content/uploads/2018/01/complan_ferreira-martins.mp3|titles=Complan – Ferreira Martins]

SOBRE O AUTOR
Zeca Martins é Redator Publicitário graduado em Propaganda e Marketing pela ESPM e autor dos livros Propaganda isso aí, Deus é inocente e Redação publicitária: a prática na prática, adotados em faculdades de Comunicação Social de todo o Brasil. Atualmente também desenvolve projetos com macrofotografia.

Clique aqui e conheça seus livros.

Leia aqui a entrevista que o blog fez com o Zeca Martins.

Aproveite e saiba mais sobre o projeto do Zeca Martins com macrofotografia.